domingo, 11 de novembro de 2007

hoje

hoje eu acordei saudade
daquelas que se sente sentido
daquelas que percorre
as vias do corpo
e sobe à cabeça
daquelas que dizem
que tempo passa correndo
e o que mais importa
é não deixar aquele
velho sorriso no bolso
mas mostrá-lo
a cada segundo

4 comentários:

Mary disse...

"a saudade é prego parafuso quanto mais aperta tanto mais difícil arrancar..." - Zeca Baleiro

Quando se fala de saudade logo lembro dessa música que adoro! :)

Lindo poema! :***

Ch disse...

Olá, meu caro;
.
Acredito que este poema poderia muito bem ser declamado sequencialmente ao anterior. Parece-me [e corrija-me se estiver equivocado] que ambos se completam nas entrelinhas, nos detalhes quase invisíveis. Não é assim?
.
Muito bom, mesmo...
.
Abraço do
Carlos

David Monsores disse...

Não deixei o sorriso no bolso!
D++!
Bom conhecer esses blogs por essas outras bandas!

Aline disse...

um dos mais lindos que já li.