sábado, 20 de outubro de 2007

do que passou

quando voltarem as luzes
vou abrir bem os olhos
e guardar cada cor
antes não vista
colocarei uma a uma em
minha caixa de retratos
como quem coloca doce
e calmamente
alguém para dormir
de tempos em tempos
quando o mundo se acabar
abrirei a minha caixa
devagar e atrevido
e dela tirarei sorrisos
lembrança das lembranças
do que passou

6 comentários:

Ch disse...

Caro Paulo;
Saiba que é muito bom vê-lo de volta aqui, e, acima de tudo, "poetando" muito bem.
O poema possui uma luminosa cadência, sabia? A idéia do valor que deve se atribuir às boas lembranças, então, só vem referendar a sua sensibilidade.
Um forte abraço do
Carlos

Tanara disse...

Tão nostalgia...
Ai Coração!

Jeniffer Santos disse...

ain...ti lindooo!

obr pelas palavras lá no meu blog,tb sou tua fã...tuas poesias são belas,e me encantam...


e se me permite e msm q não permita...kkkkkkkkkkk...vou pegar o poema do post de baixo e posta-lo no meu fotolog,tem mt a ver com a ft q kero colocar,c meus dias atuais.... x)



beijos e boa semana!

celo disse...

massa :] gostei
bons versos
[]s
marcelo

Camila Lemos Barata disse...

Porque existem as lembranças é somos tanto num só canto,num só livro.

Paulo,sua escrita me vem com tanta delicadeza.Me chega tão branca e serena...

Coisa boa é ler tuas linhas,querido!

Obrigada por seus comentário tão doces.

Um abraço apertado!

BABI SOLER disse...

boas lembranças nutrem a alma.

beijos