sábado, 17 de novembro de 2007

pingo a pingo

que se encanta com chuva
pingo a pingo
instante ser
vem cá chuva mansa
lava minha alma
minha terra
leva embora o que não sou

3 comentários:

Tanara disse...

Vamos chuva, vamos "chuvar" juntos...

beijo

Ch disse...

Gostei do poema...
A chuva lavando a alma, redimindo-a, trazendo inspiração ao poeta.
E a sensibilidade, por aqui, sempre em alta.
Abraços, amigo Paulo.
Carlos

schadenfreude disse...

belas palavras,clamo tambem a chuva para levar o que eu não sou