sábado, 1 de agosto de 2009

desse jeito

é sempre desse jeito
quando a palavra se cansa de mim
me tira mundos lápis e papeis
na mão fica nada
no rosto nem traços
até o sorriso da moça que roubei na janela
no dia de chuva
a danada me tira

5 comentários:

Maria disse...

Tenta esnobar ela um pouquinho, dizem que quando a gente perde a gente dá mais valor...

Estava com saudades de suas palavras. Mesmo as cansadas ou fugitivas ^^

Meu beijo

Luciana disse...

A palavra quando teima em brincar de esconde-esconde é mocinha experta, esconde consigo até as coisinhas que tanto admiramos por aí.

Mas com paciência achamos ela novamente e temos tudo de volta. Desde os mundos de lápis e papel até o sorriso roubado da moça.

Saudade das coisinhas do chão!

Beijos pra tu, moço do pôr-do-sol! *-*

Dani Santos disse...

as palavras a se perderem de mundos tantos. como os sorrisos se escondem quando já é noite. ou quando amanhece e faz frio e chuva.

... espaços de se recompor as palavras deixam.

elas levam mas sempre trazem.

abraço grande.

Nadja Reis disse...

Bonito demais.

... disse...

muito bonito :)